27 comentários:
De Marquinho a 13 de Fevereiro de 2007 às 11:43
Não tem valor jurídico como nenhuma campanha online ou presencial. O valor é moral.


De DO a 13 de Fevereiro de 2007 às 13:09
Eita que ja to indo la assinar
Beijos!


De Glênio Gangorra a 13 de Fevereiro de 2007 às 13:28
Nosso dirigente não foi considerado culpado de nenhum ilícito. Foi cassado por pressão da direita facista reacionária. Seu retorno não só é justo como aguardado para encaminhar a nova democracia social brasileira nos caminhos bolivarianos.


De Blogue da Magui a 13 de Fevereiro de 2007 às 13:58
Santa, com certeza eu assinaria uma petição contra a anistia do Zé Dirceu.Mas a que vc sugere é muito pessoal e nada técnica.Seria melhor se um advogado tivesse escrito.Nem sei quem foi mas está mt panfletária, cheia de citações a reportagnes jornalísticas.Eu que já fiz e participei de muitas listagens dessas não acho que devo assinar esta redação.Se houver uma mais centrada e bem redigida eu assino.


De Joel S a 13 de Fevereiro de 2007 às 16:51
Santíssimaíssima:

Nova postagem! Finalmente!

j o c a


De fabricio lima a 13 de Fevereiro de 2007 às 18:58
sai fora Dirceu. ninguém merece


De Toque das ruas a 13 de Fevereiro de 2007 às 20:29
Santa querida,

Se é para manifestar contra anistia de mensaleiros eu assino até lista em papel de enrolar pregos.


De Toque das ruas a 13 de Fevereiro de 2007 às 20:29
Santa querida,

Se é para manifestar contra anistia de mensaleiros eu assino até lista em papel de enrolar pregos.


De Nido a 13 de Fevereiro de 2007 às 21:35
Santa,


Dirceu força a barra porque sabe que tem o apoio de Lula. Que tal uma petição pra mandar ele e o chefe praticar o socialismo deles em Cuba.


"Que maravilhoso PAC construirá nossa dupla dinâmica! Enquanto Chávez “enlouquece” em sandices exaustivamente ensaiadas, com o indescritível “Socialismo ou morte!” e quejandos teatrais, Lula dirá “Capitalismo ou corte!” e seguirá cortando o orçamento onde é essencial e o preservando onde é acessório, mas eleitoralmente precioso, com Dirceu comandando o Parlamento com o lema quase chavista “Franciscanismo ou morte!”, em homenagem a São Francisco de Assis (Renan, prestativa e prazerosamente, reza na mesma cartilha, desde que não passa de mero prestador de serviços ao governo)".

André Luiz Barbosa (Goiânia-GO)


Comentar post