29 comentários:
De Stella a 28 de Fevereiro de 2007 às 23:50
mas a *pessoa* jamais poderá, no seu íntimo, mascarar sua própria pessoa


De Daniel J. Butzke a 1 de Março de 2007 às 00:23
Saba aquela expressão popular: - Caiu a máscara!


De mascarado a 1 de Março de 2007 às 00:38
Lembra o conto "O Estratagema do Amor", Donatien Alphonse François, o Marquês de Sade, narra a trajetória da jovem libertina Augustine de VilleBranche e de um rapaz enamorado que resolve conquistá-la. O encontro dos dois ocorre em um baile de máscaras carnavalesco, onde a "Menina de VilleBranche" se veste de homem e o jovem Franville disfarça-se de mulher.


De a 1 de Março de 2007 às 00:51
Se Jung está certo quando sugere a existência de oito tipos de personalidade humana, quero saber onde escondi minhas outras sete..


De Duda a 1 de Março de 2007 às 07:34
Inteligente, forte, bonita, bem sucedida, feliz sempre... Verdade ou mentira?


De Silvio Vasconcellos a 1 de Março de 2007 às 10:53
As máscaras que carregamos contém as faces do que gostaríamos de mostrar e as que os outros vêem em nós.
A face íntima, essa que nós mesmos descobrimos a cada dia, está atrás de nossos olhos e, mesmo perante o espelho, teima em ocultar-se.
No mini contos de hoje, por coinscidência a imagem de nós mesmos está oculta no espelho, alheia a passagem do tempo.


De david santos a 1 de Março de 2007 às 11:08
Olá!
Mas que loucura de texto! Eu não tenho vergonha de dizer que ando nesta coisas de ler e escrever já vai a caminho dos 100 anos e não me recordo de ter lido nada tão real. A palavra latina eu sabia o seu segnificado, mas que ela viesse a ser tão bem enquadrada num texto, isso jamais me passou pela cabeça. Santa, alguém pode, e com todo o direito, pois a liberdade é isso mesmo, ter a intenção de afastar o conteúdo deste texto para algo que tenha a ver com ficção, mas eu afirmo: nada mais errado. Este texto é aquilo que cada um de nós é. Embora eu tenha muitos elementos, alguns até aqui na minha secretária, relacionados com o trabalho de Agostinho da Silva, nunca tinha lido este trabalho. A verdade é que andamos sempre a aprender.
Nais uma vez, obrigado Santa.


De david santos a 1 de Março de 2007 às 11:11
Atenção, que não é "segnificado." É significado. Podia corrigir, mas agora não estou para reescrever tudo de novo.
Desculpa, está bem? Obrigado.


De apoiofraterno a 1 de Março de 2007 às 11:49
Lindo texto, Santa. Verdadeiro.


De Betty Branco Martins a 1 de Março de 2007 às 12:44
Querida Santa

Excelente texto.

De facto - todos nós temos "mascaras" que a própria sociedade nos impõe - tema favorito de vários "pensadores"

"A condição dramática da existência manifesta-se assim numa permanente tensão entre Ser e existir.

O homem existe num primeiro nível de dignidade ontológica, partilhando pelo corpo o mundo da matéria - e vive pelo espírito.

A vida é pois uma eterna aspiração à ultrapassagem da realidade material. A alienação é a situação que resulta da impossibilidade de o homem ser - verdadeiramente.

Dividido entre assumir-se como puro espírito ou pura matéria, o homem não é nem pode ser verdadeiramente - oscilando eternamente entre uma e outra condição" _________eis__________que aparecem AS MASCARAS!!!

Beijinhos com carinho


Comentar post