De Sílvio Vasconcellos a 18 de Setembro de 2007 às 11:34
A Infâmia não é a CPMF em si. Nem me importo que seja permanente. O que me indigna é a blasfêmia de usá-la em nome da saúde e ver bilhões jorrando em campanhas políticas, oriundos de nossos impostos. São vampiros que tiram o sangue dos moribundos das filas do SUS.
Se soubesse que iria realmente para a saúde, pagaria feliz esses 0,38% do que retiro no banco, que não chega nem perto de qualquer outro tributo que pago, seja para andar em estradas esburacadas tendo pago IPVA, andar em ruas sujas, pagando IPTU, gastando em convênio médico, pagando INSS, gastando com segurança, pagando IR, gastando mais para comer para pagar dívidas eternas do estado gaúcho, via ICMS.
Enquanto isso, bilhões trafegam em malas, cuecas e contas no exterior, as minhas custas, sem nenhuma tributação.

Santa, estou de aniversário e convido a você e seus visitantes a dar um pulinho lá em casa para ver como ficou depois da reforma.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres