25 comentários:
De Saramar a 30 de Dezembro de 2005 às 09:57
Santa, querida
mesmo de férias você não nos deixa sem essas maravilhas que dão sentido à nossa vida e reforçam nossas esperanças no ser humano.
Obrigada
FELIZ 2006


De Serjão a 30 de Dezembro de 2005 às 10:52
Entendeu porque o PompiLouvre tem 40000 acessos? É por que vc tem habilidade para postar coisas como estas que eu, na minha mediocridade, sequer sabia. Um abração do seu devoto.
Em tempo: O delegado deveria era pagar pelo show do rapaz. Se bem que duvido que seus ouvidos preconceituosos tenham competência para escutar um Gênio com Bach, prova inconteste que Deus existe.
Em tempo 2: Como fico orgulhoso como brasileiro de um compatriota como o Israel!!!


De Lata Mágica a 30 de Dezembro de 2005 às 11:41
Essa história foi dita em sala de aula quando eu tinha 15 anos,esse fato foi muito debatido na época, mas caiu no esquecimento, pois um negro correndo é suspeito!! Na época não entendi muito bem o que a palestrante demostrou, atualmente quando eu e Odilene estamos fotografando com as latinhas os olhares e a curiosidade reina pois não foi só com esse rapaz a passar por esta experiência. São muitos!!! Vira e mexe algum policial pede para abrir as latinhas, e só acredita quando demostramos as fotos.Pensam que é uma bomba caseira.


De Anónimo a 30 de Dezembro de 2005 às 16:45
Santa, também lembro desse caso. É que o menino estava atrasado para aula de música e atravessou correndo as duas pistas de carros e um descampado , um lugar esquisito próximo da escola. A polícia confundiu com um ladrão de "violino". Imagine isso!


De toque a 30 de Dezembro de 2005 às 17:06
Que caso!!! Ainda tão presente! E você Santa, não poderia nos furtar de mais essa história!!! Grata!


De Terdan a 30 de Dezembro de 2005 às 17:13
Nada de espanto com atitude policialesca. Afinal, a tropa faz-de-conta que pega ladrão tem uma sensiblidade de elefante.:)


De Julio Suárez Anturi a 30 de Dezembro de 2005 às 17:28
Hay un dicho popular: "No hay bien que por mal no venga". Creo que se aplica bien a Israel.
Hermosa historia.
¡Feliz año, Santa!


De Maria Oliveira a 30 de Dezembro de 2005 às 18:40
Santa,
A história de Israel me lembrou o que disse a mulher do psiquiatra morto recentemente no assalto: "a polícia trata as pessoas de bem com a mesma banalidade que os bandidos tratam"


De soslayo a 30 de Dezembro de 2005 às 21:53
SANTA, parece-me que isso não é só mal Brasileiro!? Lembras-te do Brasileiro que foi morto a tiro pela polícia Inglesa só pelo simples fato de estar a correr? Quanto a Israel França ter estudado no Conservatório de Música de Lisboa isso é uma honra para nós portugueses. Beijinhos E UM BOM ANO 2006 para ti e todos os que te cercam.


De Anónimo a 31 de Dezembro de 2005 às 08:32
Belo exemplo de vida!


Comentar post