Sábado, 31 de Janeiro de 2009

Fidel Castro exige a Obama a devolução de Guantánamo a Cuba, incluindo os “hóspedes”?

"Em mais uma das reflexões que vem publicando nos media do seu país, no caso no site cubadebate.cu, depois de um interregno que suscitou dúvidas sobre se o seu estado de saúde agravado, o antigo Presidente mas ainda chefe do Partido Comunista investe contra declarações do agora locatário da Casa Branca colocando condições para a devolução do recanto naval norte-americano do Leste da ilha. Nessas afirmações terá dito que a questão devia ser ponderada em função da afectação ou não da capacidade defensiva dos Estados Unidos. No momento da edição do escrito, intitulado “Decifrando o pensamento do novo Presidente dos Estados Unidos”, os líderes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Paraguai, Fernando Lugo, pediam no Fórum Social de Belém, a decorrer no Brasil a devolução de Guantánamo a Cuba..." Fonte: Público

Imagens: Desenhos do artista Janet Hamlin mostra o julgamento de Salim Hamdan, motorista de Bin Laden, em Guantánamo (Foto: Reuters)



Publicado por Blog da Santa às 08:02 | | Comentar | ver comentários (6)
|

No dia em que Lula anunciou que Dilma Roussef será a próxima candidata do PT a presidência do Brasil e em que o primeiro-ministro da Turquia,Recep Erdogan,foi recebido em opoteose na sua terra por ter abandonado o fórum mundial de Davos após ter sido interrompido quando acusava directamente o presidente de Israel,Shimon Perez,pelas atrocidades cometidas na Palestina,ficamos a saber que o líder do Hamas proclamou vitória na guerra contra Israel,que Fidel Castro,após acusar Obama de estar ao lado de Israel,exige ao presidente dos EUA a devolução de Guantánamo a Cuba e que,finalmente,os 2 maiores partidos em Zimbabwe chegaram a um acordo para formarem um governo de união. Enfim,com as novas manifestaçãoes violenta em Madágascar,concluimos que este mundo é tudo menos aquilo que o Nhu Naxu previu que, cautelosamente,vou ter de pedir conselhos ao Kaká Barboza,o verdadeio herdeiro do Nhu Naxu. Ou então,acomodar-me na típica apatia crioula.Bom,bom mesmo,foi a inciativa da chanceler alemã,Angela Merkel,em defender a criação de Conselho Económico nas Nações Unidas.

Blogue di Nhu Naxu
http://alibemtempu.blogspot.com/2009/01/cenas-do-palco-internacional.html


Publicado por Blog da Santa às 08:00 | | Comentar
|

Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009











































O discurso dos livros

Como é a história, a política, a economia, a globalização, a refoma agrária, segundo alguns dos livros didáticos e apostilas usados por alunos das escolas brasileiras

Em alguns livros, os autores apresentam a tomada do poder pelos socialistas, liderados por Mao Tsé-tung, e suas reformas. Mas omitem a repressão e o sistema ditatorial que dura até hoje.Os autores contam os resultados da revolução comunista em Cuba, mas não mencionam a censura, a opressão e a ditadura que permanecem até hoje. Predomina a versão de que o sistema capitalista aumenta a pobreza e a desigualdade – mesmo tendo os países capitalistas gerado maior prosperidade para suas populações. A globalização é apresentada como a nova forma de imperialismo. As nações ricas exploram as pobres. Falta dizer que a abertura de mercados também dá oportunidades aos países pobres.

A reforma agrária é apresentada como solução para a concentração de terras no Brasil. Não se fala que o setor terciário urbano é que tende a absorver essa mão de obra. A revolução armada é apresentada como solução justificável para acabar com a opressão. Os autores omitem que esses golpes costumam levar a ditaduras. Alguns livros didáticos do Estado do Paraná reduzem o mundo a um conflito entre as elites dominantes e os povos dominados. Os Estados Unidos são apresentados como um império de influências negativas. Não se fala da história de independência, democracia e direitos humanos do país. Continua...

“Eles ensinam para crianças e jovens fatos que não são verdadeiros, distorcendo a finalidade da educação”, Bolívar Lamounier,cientista político

O dano que livros didáticos ruins podem causar ao país vai além da questão política. “Eles ensinam para crianças e jovens fatos que não são verdadeiros, distorcendo a finalidade da educação”, diz o cientista político Bolívar Lamounier. É nessa fase do ensino fundamental e do ensino médio que os jovens se interessam por questões políticas. “Se receberem uma informação distorcida, criarão uma visão de mundo também distorcida.” Há quem diga que a ideologia nos livros didáticos não é um problema. “O viés esquerdista dos livros importa pouco”, afirma o sociólogo Alberto Carlos Almeida, diretor de planejamento da empresa de pesquisa Ipsos e autor do livro A Cabeça do Brasileiro. “Porque, à medida que a pessoa estuda, sua cabeça muda. Em geral, quem estuda mais tem uma visão menos estatizante.” Outro argumento de pensadores que minimizam o problema é que as fontes de informação no mundo atual são múltiplas e, por isso, contrabalançam qualquer viés na escola. Continua...

Atenção: Aqui a lista de doze títulos didáticos que apresentam distorções ideológicas (ver imagens)


1) (História – Origens, Estruturas e Processos/Ensino Médio. Luiz Koshiba. São Paulo: Atual, 2000)
2) (História 8, Projeto Araribá, Editora Moderna)
3) (Nova História Crítica. Mario Furley Schmidt. São Paulo: Nova Geração, 2002)
4) (apostila do programa Livro Público do Governo do Paraná, capítulo “Dinheiro Traz Felicidade”, Gisele Zambone)
5) (História Global – Brasil e Geral/Volume Único. Gilberto Cotrim. São Paulo: Saraiva, 2002)
6) (História do Brasil no Contexto da História Ocidental/Ensino Médio. Luiz Koshiba e Denise Pereira. São Paulo: Atual, 2003)
7) (exercício proposto por História Temática: Terra e Propriedade, 7a série. Andrea Montellato, Conceição Cabrini, Roberto Catelli Junior. São Paulo: Scipione, 2005 – Coleção História Temática)
8) (apostila com módulo de História do Sistema UNO de Ensino, de Nicolina Luiza de Petta)
9) (apostila História 3 – coleção Anglo. Cláudio Vicentino e José Carlos Pires de Moura)
10) (Brasil: uma História em Construção/Volume 2. José Rivair de Macedo e Mariley Oliveira.
Editora do Brasil)
11) (apostila do programa Livro Público do Governo do Paraná, Ideologia, Katya Picanço)
12) (apostila do programa Livro Público do Governo do Paraná, O Estado Imperialista e Sua Crise, Altair Bonini e Marli Francisco)
Artigo completo AQUI

Fotos: Alex and Laila/Getty Images, Greg Baker/AP e Renata Carvalho/Ag. A Tarde/AE, Marcelo Rudini/ÉPOCA, Guto Kuerten/ÉPOCA


Publicado por Blog da Santa às 13:48 | | Comentar | ver comentários (10)
|


Distorções ideológicas. Por que elas existem e como comprometem a educação

A catarinense Mayra Ceron Pereira, que mora na cidade de Lages, se sentiu incomodada com a lição de casa do filho, no início do ano. Aluno da 7a série do colégio Bom Jesus, uma rede privada do sul do país, Gabriel, de 13 anos, tinha de definir o que é a mais-valia. Ela folheou o livro Terra e Propriedade, da coleção História Temática, que ele usa na escola, e encontrou uma foto de José Rainha, líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). “Ele aparecia apenas como líder social”, diz Mayra. “Não havia a informação de que foi condenado pela Justiça.” Em uma leitura mais atenta, ela se incomodou ainda mais com o que identificou como maniqueísmo nos textos.

Quem escolhe os livros didáticos
Como o material é avaliado nas redes pública e privada
Quanto eles vendem

O autor escreve o livro didático. A cada três anos, as editoras encaminham suas coleções para avaliação do Ministério da Educação. No ano passado, 13 editoras inscreveram 587 coleções. O segmento de livros didáticos movimentou R$ 1,2 bilhão entre 2007 e 2008. Cerca de 58% do faturamento vem da venda para o governo federal.

NAS ESCOLAS PÚBLICAS
1 - O MEC envia esses livros para universidades públicas. Cada disciplina vai para uma universidade, que monta uma banca de professores da área para avaliar o conteúdo
2 - As universidades têm seis meses para elaborar um parecer justificando quais livros serão aprovados e excluídos. Além de um documento com recomendações e ressalvas para auxiliar o professor na escolha dos livros aprovados
3 - Entre março e abril, o MEC divulga a lista dos aprovados. E envia a justificativa de exclusão dos não aprovados para as editoras
4 - A lista fica na internet e as escolas públicas escolhem, com os professores, os livros que vão usar
5 - O MEC compra os livros e, no início do ano seguinte, eles estão nas mãos dos alunos

NAS ESCOLAS PARTICULARES
1 - Vendedores das editoras mostram os livros nas escolas particulares
2 - A maioria das escolas usa como referência a lista de aprovados pelo MEC, por opção própria

APOSTILAS
Algumas escolas do país usam sistemas de apostilas feitas por grandes empresas de educação como Objetivo, Anglo, Pitágoras, UNO e Positivo. O material feito por essas editoras nem passa pelo MEC. (Fontes: Ministério da Educação, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação e Associação Brasileira de Editores de Livros).
Doutrinação política

As bancas das universidades que analisam os livros para o MEC costumam rejeitar títulos por má qualidade do conteúdo. São freqüentes os casos de livros recusados por informações incorretas, uso de linguagem inapropriada ou mesmo expressões racistas ou preconceituosas. Um dos critérios para a exclusão de livros é a doutrinação política. Mas a banca deixa passar títulos que condenam o capitalismo e enaltecem o socialismo.


Em uma coleção excluída depois de ser distribuída por três anos pelo MEC, os índios são retratados como seres incivilizados, e os nordestinos como culpados pela pobreza nas grandes cidades.“Livros que induzem a preconceitos e estereótipos levam a uma formação errada, uma visão distorcida do mundo. Formam pessoas racistas, com xenofobia. As idéias de que no Nordeste só há seca e miséria e que todos os alemães são nazistas não ajudam o aluno a compreender o mundo”, afirma a historiadora Margarida Matos, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Ela coordenou a banca que excluiu o livro "Nova História Crítica" da lista do MEC neste ano. A visão doutrinária foi apenas um dos problemas identificados.

“Para entender o mundo, os professores passam a adotar uma lógica conveniente, simplista e sedutora” Samuel Pessoa, da Fundação Getúlio Vargas

A visão maniqueísta da História pode ser encontrada já no curso de Pedagogia. Para mostrar isso, Bráulio Porto de Matos, da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília, compara os manuais de didática mais usados pelos professores na década de 60 com o livro mais popular de hoje. O manual de Amaral Fontoura, usado até os anos 70, era principalmente técnico: fazia críticas ao processo de ensino. A obra mais atual, de Carlos Libâneo, no entanto, já em suas primeiras páginas fala sobre a perversidade do capitalismo. (Por Alexandre Mansur, Luciana Vicária e Renata Leal na revista ÉPOCA) Artigo completo aqui

Imagens:uncovering.org_livros



Publicado por Blog da Santa às 11:53 | | Comentar | ver comentários (4)
|

endireitar.org /imagem: nemersonlavoura


Desde que os exércitos aliados revelaram ao mundo os horrores dos campos de concentração nazistas, as tentativas de explicação histórica, sociológica e psicológica de um fenômeno tão inusitado e monstruoso criaram um dos ramos mais prolíficos da bibliografia universal. Ao mostrar que toda a técnica dos campos de concentração e do extermínio em massa foi inventada pelos comunistas e só tardiamente copiada pelos nazistas mediante convênio com o governo soviético, Snore faz picadinho de qualquer tentativa de atribuir a crueldade nazista a alguma causa especificamente alemã. Leia aqui "A cultura do genocídio"

"The Soviet Story"


"A História Soviética" é uma história de uma potência aliada. Ela ajudou os nazistas a lutar contra judeus e massacrar o seu próprio
povo numa escala industrial. Assistida pelo Ocidente, este poder triunfou em 9 de Maio de 1945. Os seus crimes tornaram-se tabus, e a história completa do regime mais assassino da Europa nunca foi contado. Até agora...
Vale a pena assistir aqui
"The Soviet Story" traduzido e legendado e aqui:
http://video.google.com/videoplay?docid=6488701198639525321




Publicado por Blog da Santa às 10:44 | | Comentar | ver comentários (1)
|

Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009
Imagem: "Terrorismo endeusado"

Brasil deve receber presos de Guantánamo, afirma ONG

O Brasil deveria oferecer ajuda ao presidente americano, Barack Obama, para fechar a prisão de Guantánamo. A recomendação é do diretor-geral da Human Rights Watch, Kenneth Roth. No total, o governo americano estima que precisará encontrar um destino para cerca de 60 presos de Guantánamo para fechar o centro de detenção. "Esses prisioneiros seriam menos perigosos que os demais, mas não podem voltar a seus países de origem, pois correriam o risco de tortura e mesmo assassinatos", afirmou Roth, que apresentou na sede da ONU o relatório anual de sua entidade. Na Europa, os governos debatem receber os prisioneiros. Mas a Human Rights Watch alerta que a responsabilidade de ajudar o novo governo americano não deve vir apenas dos europeus. "Uma iniciativa do Brasil de receber alguns dos prisioneiros seria uma grande jogada para elevar o status da política externa brasileira, que em termos de direitos humanos tem se mostrado lamentável", disse. Roth alerta que não será apoiando países emergentes, incondicionalmente, que o Brasil conseguirá um lugar permanente no Conselho de Segurança da ONU. "O Brasil apenas conseguirá um posto no Conselho de Segurança se mostrar compromisso com direitos humanos, e não tentando agradar países", completou Roth.

Por Jamil Chade, em O Estado de S. Paulo.


Publicado por Blog da Santa às 11:01 | | Comentar | ver comentários (13)
|

clicar para ampliar a imagem

Esta é a "shakespeare and company", livraria que era bastante frequentada por escritores como henry miller e o beatnik allen ginsberg. a livraria começou quando um americano chamado george whitman chegou a paris após a II Guerra. george se inscreveu em um curso de francês na sorbonne [=)] e começou a montar uma mini-biblioteca particular no quarto de hotel em que morava. a coleção foi se expandindo e incentivado por um amigo, george abriu a "shakespeare e company". o nome da livraria é em homenagem à antiga loja aberta em 1919 pela, também americana, sylvia beach.

Sei não, maga


* IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística



Publicado por Blog da Santa às 11:00 | | Comentar
|

Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009
José Padilha, do polêmico filme brasileiro "Tropa de Elite", fala dos seus novos trabalhos e dos impactos que a crise vai gerar no cinema

'Depois da polícia, vamos olhar a política'

Crise econômica, pirataria, queda de público nos cinemas. Nada parece abalar o fôlego criativo do diretor José Padilha. Sua agenda a curto, médio e longo prazo está cheia; o lançamento do documentário Garapa no Festival de Berlim, o aguardado Tropa de Elite 2, além de diversas parcerias internacionais, entre elas, com a produtora de Brad Pitt. O diretor adianta, ainda, que seu próximo longa de ficção, Nunca Antes na História Deste País, pretende fazer com os políticos brasileiros algo semelhante ao que Tropa de Elite fez com a polícia - uma profunda análise, levando em conta o jogo de forças e as complexidades dessa instituição pública. A expectativa é que o filme seja lançado pouco antes da eleição presidencial, “para as pessoas saberem em quem estão votando”, afirmou o cineasta. A seguir, trechos da conversa do diretor com a coluna.

Neste filme que você está produzindo, como vai ser abordada a política brasileira? É um longa de ficção. Eu e o Luiz Eduardo Soares estamos ainda escrevendo o roteiro. Nossa ideia é analisar a política brasileira de uma maneira parecida à que fizemos com a polícia no Tropa de Elite. Depois da polícia, vamos olhar a política.

Vocês vão fazer um raio-x das instituições políticas? Investigamos quem são os políticos, qual é o jogo deles para se eleger, que tipo de aliança se faz, como se financiam as campanhas e no que esse financiamento implica depois de uma eleição. Vamos olhar para situações semelhantes à do mensalão, por exemplo - embora não seja um filme sobre o mensalão e nem só sobre o governo Lula. É sobre a política no Brasil, em todos os governos e em todas as instâncias. Estamos pesquisando esse processo que se repete em todos os níveis de administração do Brasil e que, na minha opinião, acaba por moldar o que acontece no País.

O que vocês descobriram nessa pesquisa, até agora? Que existem algumas peculiaridades do processo eleitoral brasileiro. Isso é histórico. E o Luiz Eduardo Soares viveu algumas eleições, então ele sabe. Na primeira eleição do Lula, ele estava na campanha. O primeiro tratamento do roteiro já está pronto, e está superbacana. Já temos uma parte do dinheiro e vamos filmar no ano que vem.

E o elenco? Quando eu penso em elenco, a primeira coisa que me vem à cabeça é o Wagner Moura... (risos). Mas não li o roteiro para ele, ainda estou levantando os recursos para o filme.

E como surgiu a ideia do Tropa de Elite 2? Quais as motivações? O Tropa de Elite 2, para mim, é um filme que só existe se um grupo de pessoas estiver disposto a fazer junto. Não existe esse filme sem Lula Carvalho na fotografia, o Daniel Rezende na montagem, o André Ramiro, o Wagner Moura, o Bráulio Mantovani no roteiro, sem Rodrigo Pimentel... e por aí vai. Eu não faço filme porque vai gerar público, sabe? Então, pensamos juntos no Tropa 2, e Bráulio já está escrevendo o roteiro.

Com a crise econômica, fica mais difícil arrumar dinheiro para o projeto? Já temos pessoas muito interessadas em colocar dinheiro no Tropa de Elite 2. Logicamente, é mais fácil levantar recursos para esse título do que para outro filme da minha produtora. Mas esse filme também é, para mim, uma faca de dois gumes. Porque se eu eu colocar o Tropa 2 para captar, acabo captando só para ele, porque aí ninguém vai querer colocar dinheiro em outros projetos.

Mas já dá para sentir os efeitos da crise? Qual o impacto disso no cinema? É óbvio que a crise vai afetar o cinema. A grande maioria de cineastas faz cinema com dificuldade. O cinema brasileiro tem um problema que lhe é inerente: é financiado por meio de uma lei que depende do lucro das empresas. E essas empresas não vão ter o mesmo lucro do ano passado. Pode ser que haja público, mas haverá menos filmes.

Mas o Tropa 2 sai ou não sai? Eu trabalho nessa perspectiva, senão eu estou ferrado (risos)... Quem vive de cinema e não de publicidade, como eu e meu sócio Marcos Prado, quando escrevemos um roteiro, estamos também investindo em dinheiro. Tem dado certo até agora, o Tropa de Elite foi rentável e os documentários que a gente fez foram vendidos para a TV. Nos EUA, o público não caiu por causa da crise. E historicamente o cinema perde muito pouco com as crises, ou melhor, perde relativamente menos que outros setores.

Você já tem alguns projetos internacionais em andamento? Estou terminando de escrever um roteiro para a produtora Plan B, que tem o Brad Pitt como um dos sócios. É a adaptação de um livro chamado Marching Powder - a história verídica de um traficante inglês que é preso na Bolívia quando está indo para a Inglaterra com cocaína. Além disso, tenho um outro projeto como diretor para a Warner Brothers.

E o documentário Fierce People? Estou montando com o Felipe Lacerda - o mesmo montador do Garapa - o Fierce People. É um documentário para BBC e para o canal francês Art. Partimos de uma série de eventos que aconteceram na Venezuela, de 1966 até os anos 90. Antropólogos do mundo inteiro foram lá pesquisar os índios ianomâmis para tentar entender as razões pelas quais, teoricamente, eles fazem muitas guerras. Há uma série de questões teóricas sobre a origem da guerra no meio desse debate.

Como o olhar de um cineasta reage ao que está acontecendo em Gaza? Estou trancado em uma ilha de edição dez horas por dia. E, portanto, qualquer opinião que eu der sobre esse assunto será superficial. Porque nunca parei para estudar e entender a questão de Israel e Palestina. Não me parece que o que acontece entre judeus e palestinos seja muito racional. Existem motivações religiosas no meio dessa guerra, e a religião tende a ser inimiga da razão. É uma pena.

Por que lançar o Garapa em Berlim? O meu maior compromisso este ano é com o Garapa. É um filme do qual eu gosto, fiquei muito tempo fazendo. Eu ia lançar no festival do Rio, depois na Mostra de São Paulo, mas tivemos um problema no laboratório. Aí me apareceu a chance de submeter o filme a outros festivais. Berlim viu e convidou o filme. Eu gosto do Festival de Berlim e acho que é o lugar certo para ele.

Por quê? Porque Berlim é um festival que tem tradição de gerar debates. E esse filme possui essa característica, porque lida com um problema mundial, a fome. Se você avaliar os números da ONU, vai ver que o número de pessoas que passam fome no mundo aumentou muito no ano passado - saiu de 800 milhões para 920 milhões - por causa do preço dos alimentos. Só isso já é uma enorme questão política: o preço dos alimentos, os subsídios da agricultura, etc. Depois, tem toda essa história do Brasil, do Bolsa-Família. Todos esses elementos que permeiam o filme me fazem pensar que Berlim é um lugar bom para lançar.

E o que você acha dessa nova denominação, “Favela Movie”? Os críticos de cinema e os realizadores dividem os filmes nessas categorias. A questão é se essa categoria gera um tipo especial de entendimento sobre o cinema que é produzido no Brasil. No Brasil, muitos filmes são feitos no ambiente de favela, mas isso não cria um gênero de cinema. Pode ser um romance, um thriller ou um drama que se passa na favela.

MARILIA NEUSTEIN

Direto da Fonte



Publicado por Blog da Santa às 10:59 | | Comentar | ver comentários (10)
|

Na AFP

O primeiro-ministro islandês, Geir Haarde, anunciou nesta segunda-feira a renúncia imediata de seu governo, em consequência da crise econômica que afeta o país há quatro meses.

O Partido da Independência, formação de centro-direita de Haarde, dividia o poder com os social-democratas desde maio de 2007.

A renúncia em bloco do governo acontece depois do premiê ter anunciado na sexta-feira a convocação de eleições antecipadas para 9 de maio, dois anos antes do previsto.

O governo islandês se viu submetido a uma forte pressão por parte da opinião pública, que exigia uma prestação de contas por causa da implosão econômica do país.

O anúncio de Haarde de antecipar as eleições, as quais ele disse que não vai concorrer por motivos de saúde, não impediu que no sábado 5.000 pessoas exigissem nas ruas a renúncia do governo.

A Islândia, uma pequena ilha do norte da Europa de 320.000 habitantes, foi uma das primeiras vítimas da crise financeira mundial, por ter sustentado a tranquilidade financeira no setor bancário.

Fonte: http://jc.uol.com.br/blogs/blogjamildo/index.php



Publicado por Blog da Santa às 10:58 | | Comentar
|
















Fotógrafo escocês debocha de fotos de celebridades no MuBE


Deboche: sob o título , o bordão da Rainha de Copas em "Alice no País das Maravilhas", o fotógrafo escocês Rankin, exibe o retrato do ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair, com cabelo despenteadoda e da rainha Elizabeth com falsos e ultracafonas reflexos em forma de estrelinhas nas pérolas nada falsas do reino britânico que ornam o pescoço, as orelhas e o peito de Sua Alteza. Aqui



Publicado por Blog da Santa às 10:57 | | Comentar
|

BEM VINDOS!
ORKUT

Página da Santa

Comunidade da Santa
 

ACESSOS
POSTS RECENTES

Novo endereço

Até breve!!

QUANTO VALE UM POBRE?

Narcoterroristas da Colôm...

Popular até para os morto...

Atenção! O trem-bala já n...

OS 85 TRIBUTOS COBRADOS N...

Dilma. A mulher "pode" !

Brasil: pós palanque e br...

Lula ressuscita a CPMF pa...

"O pior não é morrer de fome num deserto: é não ter o que comer na Terra Prometida" (José Lins do Rego)
CENSURA NO GOOGLE
SANTA
ARQUIVO

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

MAPA ELEIÇÕES ESTADUAIS
Oposição é campeã na disputa pelos Estados (10 vitórias) contra 4 do partido governista.
BLOGS ESTRANGEIROS
  • A Natureza do Mal (Portugal)
  • Abulafia (México)
  • Abrupto (Portugal)
  • AEA(Portugal)
  • Astrolabio(Chile)
  • Bellxone(França)
  • Blog-sem-filtros(Portugal)
  • Betty Branco(Portugal)
  • COGIR (Portugal)
  • Das Pipi Pausa (Chile)
  • Dispersamente(Portugal)
  • Dra.Daniela Mann(Portugal)
  • El Escarabajo gris
  • Estados Gerais (Portugal)
  • Fado Falado (Portugal)
  • Fases da Lua Cheia (Portugal)
  • Foto Escrita (Portugal)
  • Impressões(Inglaterra)
  • In Mente (Portugal)
  • Kurika (Portugal)
  • Martha Clmares(Venezuela)
  • Menina Marota(Portugal)
  • Mixtu (Espanha)
  • Inquetudes(Espanha)
  • Novo Mundo(Portugal)
  • Nuvolaglia (Peru)
  • O Insurgente(Portugal)
  • Olhos de Órus(Portugal)
  • Os Intensos (USA)
  • Pisconight (Portugal)
  • Sabedoria(Portugal)
  • Ser Rizomático (Espanha)
  • Só Verdades(Portugal)
  • V-P(nieto) (Portugal)
  • Xnem(Barcelona)
  • BLOGS BRASILEIROS
  • A Marvada Pinga
  • A Moita do Moita
  • A Nova Corja
  • A Casa do Zé Carlos
  • As Culturas Reagem
  • Alquimistas do Brasil
  • Abuláfia
  • Arte Incomum
  • Arte de Fazer
  • Arte Popular
  • Apoio Fraterno
  • Abrindo Janelas
  • Alerta Brasil
  • Angelo da Cia
  • Amor Natural
  • Aqui não, Genésio
  • Aparte
  • ArtMonta
  • Arte Pública Blog
  • Bento vai pradentro
  • Boa Temática
  • Blog do Arlan
  • Blog do Carlos Caldas
  • Blog do Clausewitz
  • Blog de Daniel Butzke
  • Blog do Fábio Mayer
  • Blog do Ferra Mula
  • Blog do Hynkel
  • Blog do Joca
  • Blog do Maninho
  • Blog do Tunico
  • Blog do Tunico 2
  • Blog da Juju
  • Blog da Loba
  • Blog da Magui
  • Blog do Patrick
  • Blog da Nariz Gelado
  • Blog do Tambosi
  • Blog do Sombr4
  • Blog do Ozéas
  • Blogs Coligados
  • Blogando Francamente
  • Brazil Liberdade e Democracia
  • Brazil Business
  • Business Opportunites
  • Cadinho Roco
  • Camarada Arcanjo
  • Caótica
  • Cláudia Perrotti
  • Clenira Melo
  • Chega Mais
  • Circo Sem Futuro
  • Contos e Encontros
  • Contos que conto
  • Connaction
  • Coisas Caseiras
  • Contra o Vento
  • Cosmologia: ciência e arte
  • Culturas Híbridas
  • Da indignação à Ação
  • Desabafos do Amor
  • Deu no Jornal
  • Devaneios de Lilith
  • Diplomatizzando
  • Doutro Lado do Mar
  • Eduardo Souza
  • Educa Fórum
  • Equilíbrio
  • Em Outras Palavras
  • Escrevinhações
  • Estórias Essenciais
  • Ex-petista
  • Expectativas Racionais
  • Fabiana Melo
  • Fábio Mayer
  • Falares
  • Fermento Cínico
  • Flor de Lis Branca
  • Giocomo
  • Frodo Balseiro
  • Gazeta Cultural
  • Grupo da Quinta
  • Idéias e Histórias
  • Ilustrada PPG
  • Indecência Verde Amarela
  • Jus Indignatus
  • Kafe Roceiro
  • Lata Mágica
  • Leão Nazareno
  • Leite, Luz e Linha
  • Lesados em Geral
  • Lena Casas Novas
  • Limpa Brasil
  • Lucasivuca
  • MaGenCo
  • Maria B
  • Maria Oliveira
  • Meu Primeiro Bebê
  • Memorial IAC
  • Meus Ditos
  • Mini contos cotidianos
  • Minimínimos
  • Minuto Político
  • Netuno
  • Miolo de Pote
  • Nacionalista
  • Novas - Vera
  • O Copista
  • O País da Piada Pronta
  • O que pensa Aluízio
  • O Carapuceiro
  • Olhos de Marina
  • Outras Letras
  • PT Nunca Mais
  • Palavras ao Leu
  • Pensar Político
  • Pedra Fundamental
  • Pérolas aos Porcos
  • Plenos Pecados
  • Poemas e Amores
  • Porto das Crônicas
  • Por Cuba Livre
  • Por Outro Lado
  • Por um Novo Brasil
  • Pinkart
  • Pobre Pampa
  • Postura Ativa
  • Quintal do Leão
  • Ramses Séc XXI
  • Resistência
  • Rodrigo Constantino
  • Rótulo
  • Serjão comenta do céu
  • Sei.Não.Maga
  • Simpatia e Esculacho
  • Sobesta Blog
  • Soube?
  • Som Barato
  • Star Sasa
  • Toque das Ruas
  • Toca do Calango
  • Toca dos Seis
  • Tubarão
  • Santa do Blog
  • Uni-verso In-verso
  • Vaca Atolada
  • Varal de Idéias
  • Verbi Gratia
  • Vida Nova
  • Vôo Subterrâneo
  • Vox Libre por Antonio Rayol
  • Walter Carrilho
  • Zigue-zagueando
  • Contraditório
  • Jean Scharlau
  • Zé Povo
  • Novembro 2010
    Dom
    Seg
    Ter
    Qua
    Qui
    Sex
    Sab

    1
    2
    3
    4
    5
    6

    7
    8
    9
    13

    16
    17
    18
    20

    21
    22
    23
    24
    26
    27

    28
    29
    30


    Brasileira em Lisboa, Portugal
    blogs SAPO
    tags

    “força aérea

    300

    80 anos de bento xvi

    aeronáutica

    affonso romano

    agência nacional de aviação civil

    água

    alimentação medieval

    alinhamento ideológico

    amarildo

    ancine

    andre desek

    anibal phillot

    animação

    ariano suassuna

    arquitetura

    arsenal

    arte

    arte brasileira contemporânea

    arte contemporânea

    arte pop

    arte pública

    artes visuais

    assalto

    assédio

    assembléia legislativa de perrnambuco

    atendimento aos municípios

    bacanal

    banco do brasil

    bento xvi

    bienal

    bloogueiros portugueses

    bobagens

    bolívia

    boris kossoy

    boris nikoláyevich yeltsin

    brasil

    bruna putistinha

    bruna surfistinha

    caetano veloso

    caetés

    campanha na rede

    cansei

    caos aéreo

    caricatura

    carlos wilson

    cartel

    células-tronco

    cenografia

    censura no brasil

    charge

    christina fontenelle

    cidades

    cinema

    classe média

    clement greenberg

    clodovil

    co-rio

    combater ao crime

    comissão de constituição e justiça do se

    comunicação

    congressistas

    congresso nacional

    conselho nacional de cinema

    controlador de vôo

    corrupção no brasil

    cow parade

    cow parade no brasil

    cpi do apagão

    crime

    crítica de arte

    culinária temática

    curadoria

    cursos

    diogo mainardi

    escultura

    fotografia

    governo

    governo do pt

    governo lula

    humor

    impunidade

    lei rouanet

    literatura

    lula

    mec

    minc

    patrocínio cultural

    poéticas

    política

    política cultural

    política pública

    políticas públicas

    prefeitura são paulo

    pt

    segurança

    turismo

    universidade

    violência

    violência urbana

    todas as tags