18 comentários:
De Clê a 19 de Março de 2007 às 09:50
Gosto de filmes épicos mas esse promete muita violência, muito sangue... Eu aguento!!


De Nido a 19 de Março de 2007 às 09:59
Nossa!!! O filme aconselha idade a partir de 17 anos e acompanhados por um adulto!!


De parceria de bandidos a 19 de Março de 2007 às 10:02
Será praticamente impossível ao governo Lula alegar ao presidente George Walker Bush, no próximo dia 31 de março, que não existem terroristas atuando no Brasil ou fazendo parceria com organizações criminosas e "movimentos sociais" brasileiros. Agentes de inteligência dos EUA e Israel abastecem os serviços reservados (segunda seção) das Polícias Militares com dossiês completos sobre as ligações efetivas de pelo menos 28 grupos terroristas internacionais com esquemas mafiosos brasileiros.


De Flor de Lis Branca a 19 de Março de 2007 às 10:10
Rodrigo Santoro é muito bom e (apesar de detestar) na série Lost o ator vai se dar bem.


De Harlond8807 a 19 de Março de 2007 às 10:15
Español españolado! vaya que patetico haha


De Duda a 19 de Março de 2007 às 11:34
Santa,

Quem acaba faturando $$$ com essas polêmicas são os produtores, a Warner no caso "espartano".


De Duda a 19 de Março de 2007 às 11:35
Concordo. A duplagem em espanhol está horrível!!


De Zuriñe Vázquez a 19 de Março de 2007 às 12:30
Hola, me gusta el aspecto de tu blog. Esta película no es nada más que un Cómic, como lo fue Troya, Gladiator, y etc no tienen veracidad histórica, y lo sabe el público. Protestar contra ella es darle una publicidad que no merece.
Un abrazo. Mosaico no tiene comentarios porque es un blog que dirige a otros, es una vía, un camino. Beijos desde España


De Silvio Vasconcellos a 19 de Março de 2007 às 13:26
Hollywood explora a natureza da sociedade americana, voraz por sangue, que mesmo quando a violência é sufocada, explode em franco-atiradores em escolas, shopping ou vias públicas. Esse padrão acaba tornando-se generalizado para o mundo, ajudando a banalizar a violência em nações de natureza pacata e cordial. É a simples hegemonia que o dominador exerce sobre o dominado.
Assim, mesmo em tribos remotas na África, que antes utilizavam a bruxaria para atingir seus oponentes, passa a munir-se de armas e trucidar povos inteiros, sob o olhar desinteressado da dita civilização.


De david santos a 19 de Março de 2007 às 14:21
Olá, Santa!
Só para te dizer que este foi o meu último post do ano. Aliás, a minha intenção era criar condições para voltar a mostrar a minha Elis a todo o mundo. Foi um trabalho muito árduo, mas como já consegui a visita de todos os pontos do globo e era a data do nascimento, da Elis, foi altura escolhida e com sorte, a ideal. Devo dizer-te, Santa, que lamento não te ter conhecido há mais tempo, pois só andei por aqui o suficiente para homenagear a Elis. Sei que se te tivesse conhecido há mais tempo, faríamos trabalhos para ficar na história, garanto. Foi pena. Agora vou tentar acabar aquilo que tinha em mãos antes de preparar a homenagem à Elis. A seguir, penso, ir para África viver junto das crianças a quem posso ser útil. Agora acabar o que deixei para trás, estudos, nomeadamente, um douturamento, escritos que tenho por aqui meios soltos e que são para publicação e depois sim, depois África. Já dei aulas por aquelas terras e tenho lá grande parte do meu mundo e sei que aquelas crianças me vão achar útil. Adoro-te, Santa. Lamento que não tivessemos tempo para engrenar em um trabalho conjunto. Pois sei que íriamos fazer coisas jamais lidas ou vistas, mas a vida é assim. Nunca se está bem onde se está. Aliás, a vida de outra forma não presta. Muitos beijos e muitos abraços deste que sempre te admirou muito, mas que só não teve tempo para te mostrar essa admiração. Com sabes, o meu blog é frequentado e participado por todo o mundo, por isso, o tempo não chegava para nada. Trabalhei tempos a fio 24 horas por dia. Mas valeu a pena, consegui mostrar o meu ídolo ao mundo. Ainda há quem queira pôr o meu ídolo no esquecimento, mas enquanto eu tiver olhos e ver, isso jamais acontecerá.
Até sempre. Se para o ano eu voltar, pois pode ser que volte, vamos pensar um projecto em conjunto. Caso queiras, claro.
Abraços.


Comentar post